No último sábado eu tive a oportunidade de participar da benção mundial do útero aqui em minha cidade, e foi muito bom poder acolher e ser acolhida.

Estas horas mágicas que pude estar entre mães e filhas, musas e meninas, foi um belo momento para refletir o quanto estas rodas de mulheres foram aos poucos deixando de fazer parte das nossas vidas e como isso faz falta.

Poder acolher e ser acolhida,

poder relembrar o amor e a força que temos juntas,

poder encontrar na vulnerabilidade o amor e a compaixão,

Poder criar e cocriar

Poder cantar e expressar a música que está em nós,

Poder dançar e encantar.

Voltar a conectar com o nosso poder interior.

Poder ser mulher.

Como diria Badi Assad

“Mulher que mexe e remexe com a alma do mundo.”

Agradeço a todas as mulheres que estavam lá, por este momento de muita paz, em especial a Hellen Soares, Josiane Oliveira, Carolina Peruchetti Galego e Suindara Ribeiro, que prepararam cada detalhe com tanto amor.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *